Greve da Polícia Civil pode ter novo desenrolar nesta sexta

0
52

Mesmo sendo considerada ilegal pela Justiça, o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol – PE), manteve a paralisação que se iniciou desde a zero hora desta sexta-feira (21). A categoria reivindica a implantação do Plano e Cargos e Carreira, que tinha sido acertado com o governo do estado em fevereiro deste ano, por meio de um acordo, mas que ainda não foi cumprido. Segundo Áureo Cisneiros, presidente do Sinpol-Pe, durante a greve “Os policiais vão realizar apenas flagrantes delitos e locais de crime, pois o governo nos ofereceu uma proposta evasiva, sem dizer um prazo para implementar o plano”.

No entanto, uma nova rodada de negociações entre a polícia e o governo está marcada para a tarde desta sexta. Áureo Cisneiros irá se reunir com o secretário de Defesa Social, Angelo Fernandes Gioia, na Secretaria de Administração. Após isso, às 17h, a categoria fará uma nova assembleia para definir se mantém ou não a greve.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), foi traçada uma estratégia para utilizar o efetivo da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, a fim de evitar que o estado entre em caos. Desse modo, a PM continuará nas ruas fazendo o seu trabalho.

Mesmo assim, o Tribunal de Justiça de Pernambuco declarou que esta greve é ilegal, uma vez que as atividades da categoria “são análogas às dos militares, em relação aos quais a Constituição expressamente proíbe a greve”, conforme afirmou o desembargador Bartolomeu Bueno. Além de definir uma multa diária no valor de R$ 100 mil, caso haja o descumprimento da limiar, o desembargador ainda completa: “a reivindicação, ainda que justa, não pode penalizar a população (…)”.

 

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here